GlusterFS

GlusterFS é um sistema de arquivos distribuído e descentralizado,  criado recentemente e ainda em desenvolvimento pela empresa Z Research. Trata-se de um sistema cujo principal objetivo é a escalabilidade, sendo que para isso seus projetistas utilizaram conceitos da computação de alto desempenho, como a agregação. Basicamente, GlusterFS agrega múltiplas unidades de armazenamento remotas em um único volume. As unidades de armazenamento, chamadas bricks, são distribuídas pela rede em um único sistema de arquivos paralelo, permitindo uma escalabilidade de milhares de bricks e vários petabytes de armazenamento. Os clientes, que também podem ser simultaneamente servidores de dados, montam os diretórios compartilhados pelos servidores, tendo assim acesso a uma parte ou a todo o conteúdo compartilhado.

– Wikipedia

Instalação:

Sugiro que entre no site oficial guster.org e baixe os pacotes ou siga as instruções dentro de cada distribuição, se vc estiver usando o Debia 8 Jessie são estas:

Continuar lendo GlusterFS

Verificações de disco

Ferramentas:

Gerenciador grafico de disco:

sudo apt-get install gsmartcontrol

Smartmontools:

apt install smartmontools

lsscsi

apt install lsscsi
Comandos:

Para fazer teste simples:

# smartctl -t short /dev/sda

Verificar os testes:

# smartctl -l selftest /dev/sda

Diagnostico rápido:

# smartctl -H /dev/sda

teste longo:

# smartctl –test=long /dev/sdb

Teste de tempo e performance:

# smartctl -c /dev/sda

log de erros:

# smartctl -l error /dev/sda

Badblocks

http://www.diolinux.com.br/2014/05/verificando-badblocks-no-ubuntu.html

 

Fontes:

http://www.diolinux.com.br/2014/05/verificando-badblocks-no-ubuntu.html

http://www.hardware.com.br/artigos/monitorar-smart/

 

 

 

Criando um HD inicializavel a partir de uma ISO

descobri a pouco tempo um comando bom pra criar um disco de inicialização pra instalar o linux via um hd ou pendrive.
Os programas só servem pra instalar em pendrive mas eu tava com problema pra botar o ISO num hd pra instalação.

Comando:

$ sudo dd if=/home/usuario/Downloads/linuxmint-17-cinnamon-64bit-v2.iso of=/dev/sdc oflag=direct bs=1048576

o sdc era o meu hd externo, só que ele apaga tudo que ta dentro dele

 

Fonte:

Anselmo Junior

ntfsfix

Linux arrumando zicas do ruindos desde sempre…

Essa ferramente ajuda na recuperação de partições com sistema de arquivos ntfs.

 

Instalando:

$ sudo apt-get install ntfsprogs

concertando:

$ sudo ntfsfix /dev/sda1

se der certo, apos iniciar o sistema deixe o shcdsk fazer o trabalho dele.

 

fontes:

http://www.mktecnologia.net.br/index.php?option=com_content&view=article&id=41:reparando-ntfs-com-linux&catid=1:linux&Itemid=5

http://www.nviana.eng.br/wp/linux/recuperando-particao-ntfs-pelo-linux

$grep -n 'texto' arquivo -r

grep é um aplicativo para linha de comando de sistemas Unix/Linux que faz buscas no conteúdo dos arquivos

-Wikipedia

Exemplos

Busca simples:

$ grep ‘joao’ arquivo.txt

Recursiva

$ grep ‘texto’ /etc/* -r

Mostrando as linhas:

$ grep -n ‘joao’ arquivo.txt

fontes:

http://www.vivaolinux.com.br/artigo/Usando-grep-e-egrep?pagina=2

http://ndvo.blog.br/pt-br/gnulinux/como-procurar-por-uma-string-em-v%C3%A1rios-arquivos/

Configurações globais flash player + webcam

A um tempo a trás tive problemas para iniciar minha webcam em um sistema que utilizava o flash player como aplicativo para abrir a webcam. Mas esse aplicativo ao pedir permissão para ligar a webcam travava ao abrir a janela de configurações do adobe flash player. Isso aconteceu com o GNU/Linux Ubuntu 12.10.

A solução é entrar no site da adobe e configurar pelo site:

http://www.macromedia.com/support/documentation/en/flashplayer/help/settings_manager04.html

Ali você pode permitir qualquer site ou então permitir especificadamente o site que você quer usar a webcam.

 

P-)

Criando partição maior que 2 TB no Linux

Descobri somente na pratica que o MBR está limitado para partições de até 2 TB, mas para maiores temos uma solução o GPT!

Para mais informações olhe as fontes!

Aqui vai como fazer:

Vendo dados do Disco

# fdisk -l /dev/sdb

Saida:

Disk /dev/sdb: 3000.6 GB, 3000592982016 bytes
255 heads, 63 sectors/track, 364801 cylinders
Units = cylinders of 16065 * 512 = 8225280 bytes
Sector size (logical/physical): 512 bytes / 512 bytes
I/O size (minimum/optimal): 512 bytes / 512 bytes
Disk identifier: 0x00000000
Disk /dev/sdb doesn't contain a valid partition table

Criar um partição de 3 TB

# parted /dev/sdb

Saída:

GNU Parted 2.3
Using /dev/sdb
Welcome to GNU Parted! Type 'help' to view a list of commands.
(parted)

Criando um novo rotulo do tipo GPT:

(parted) mklabel gpt

saída:

Warning: The existing disk label on /dev/sdb will be destroyed and all data on this disk will be lost. Do you want to continue?
Yes/No? yes
(parted)

Setar para TB a unidade de medida:

(parted) unit TB

Criando a partição com 3TB:

(parted) mkpart primary 0.00TB 3.00TB

Imprimindo o resultado:

(parted) print

Sample outputs:

Model: ATA ST33000651AS (scsi)
Disk /dev/sdb: 3.00TB
Sector size (logical/physical): 512B/512B
Partition Table: gpt
Number  Start   End     Size    File system  Name     Flags
 1      0.00TB  3.00TB  3.00TB  ext4         primary

Saindo e salvando as mudanças:

(parted) quit

Agora utilize o mkfs.ext4 para formatar a partição criada!

# mkfs.ext4 /dev/sdb1

 

Pronto! Linux é foda né?

Fontes:

http://www.ibm.com/developerworks/br/linux/library/l-gpt/

http://www.cyberciti.biz/tips/fdisk-unable-to-create-partition-greater-2tb.html

http://www.vivaolinux.com.br/artigo/Exemplos-praticos-de-comandos-com-Parted?pagina=1

Criando senha aleatórias e seguras no linux

A utilização de senhas seguras é uma obrigação a todo profissional de TI. Suas senhas devem ter um bom comprimento e alternar entre letras, números e caracteres especiais, diminuindo drasticamente a possibilidade de descoberta das senhas por outras pessoas ou mecanismos automáticos. Para facilitar a nossa vida existem dois utilitários no linux que geram senhas aleatórias sem que precisemos queimar neurônios para criá-las sozinhos: mkpasswd e makepasswd

O comando mkpasswd já vem no linux e utiliza a função crypt para gerar senhas. Já o makepasswd é mais completo: utiliza o /dev/random para gerar as senhas, pode gerar várias senhas de uma só vez e criptografá-las com o algoritmo md5.

Gerando senhas com o mkpasswd:

Apenas digite no terminal o comando:

Código:
$ mkpasswd


saída:

Código:
senha: digite-a-senha-aqui
/o76/Dpgmv/5rX2

 

Instalando o makepasswd(eu recomendo esse)

Em distribuições Debian-like, digite o seguinte comando no terminal:

Código:
$ sudo apt-get install makepasswd

 

Gerando senhas com o makepasswd:

Digite no terminal:

Código:
$ makepasswd


Saída:

Código:
1mnU8L1LVF


Para alterar o comprimento da senha gerada, utilize a opção –char

Código:
$ makepasswd –char 12


saída:

Código:
9HaifQW4q923


para gerar várias senhas de uma só vez utilize –count

Código:
$ makepasswd –count 5


Saída:

Código:
LzSoH0
K2QXW5L
AisGn0vn
ETVj0W74
NpBp1TeA


Para gerar uma senha criptografada, utilize –crypt-md5 (Ele exibirá a senha em texto plano e criptografada)

Código:
$ makepasswd –crypt-md5


Saída:

Código:
YM2WYIry  $1$mn8MFbyM$Suk986UgD/kOuNBJsBzoD/


Um pequeno script para alterar senhas de usuários com o makepasswd:

Código:
#!/bin/bash
#changepass
#Script para alterar a senha de um usuario
#escrito por Luiz Guanabara www.guanabara.eti.br
#if [ $UID != 0 ]
then
echo -e “ntVoce precisa ser root para executar este script!n”
exit
fi

echo “Informe o nome do usuario”
read name
echo “Informe o comprimento da senha”
read lenght

pass=$(makepasswd –char $lenght)

echo “$name:$pass” | chpasswd

echo “A senha do usuario $name foi alterada para $pass ”

 

———————

Pwgen: utilitário para criar senhas seguras no Linux

por Helbert Rocha no dia 13/ago/2010 em Aplicativos

Pwgen é um gerador de senhas projetado de modo que as senhas sejam facilmente memorizadas pelas pessoas. As senhas que podem ser lembradas pelas pessoas nunca foram tão seguras quanto aquelas geradas aleatoriamente. Em particular, as senhas geradas por este aplicativo sem a opção “-s” não devem ser usadas onde elas podem ser atacadas pela força bruta.

Instalação

Ubuntu

No Ubuntu, para instalar o Pwgen, basta executar o comando abaixo no terminal.

$ sudo apt-get install pwgen

Fedora

No Fedora, para instalar o Pwgen, basta executar o comando abaixo no terminal.

$ su -c 'yum install pwgen'

Uso

Para utilizar o Pwgen, temos algumas opções. Vide abaixo quais são elas.

  • -0, para não incluir números nas senhas geradas.
  • -A, para não incluir letras maiúsculas.
  • -B, para excluir caracteres que possam causar confusões, como 1 e l, por exemplo.
  • -y, para inserir ao menos um caractere especial (*$=!?% …).
  • -n, para inserir ao menos um número na senha gerada.
  • -s, para gerar uma senha aleatória e difícil de ser memorizada.

Exemplo

$ pwgen -0AByns 5 3
OYQS9 5z4O1 gRjR9

Portanto, vemos que foram geradas 3 senhas de 5 caracteres de acordo com as opções pedidas. Para mais informações sobre o Pwgen, clique aqui.

Fontes:

http://networkteam.forumbrasil.net/t30-linux-gerando-senhas-seguras-e-aleatorias

http://meupinguim.com/pwgen-utilitario-criar-senhas-seguras-linux/